sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Escorpião.

Muitos dizem que eu sou possessivamente possessa?Tem como?Tem jeito de india do mato com gato na noite,arisca.Do veneno que amortece,as piores carnes dos humanos e dos subzumanos, das palavras mortas que um dia eu disse da viuvez e da minha santa ignorancia,e cada uma volte com mais intensidade do que foram ditas.

'Meu pai..Me fez assim..

e com fios de mel botou cada detalhe, nada se esqueceu,
do cabelo castanho liso,dos olhos verdes,da pele morena e da estatura baixinha,creio eu que era pra não ficar tão agressiva.

não se esqueceu do sangue negro,do forte,Do teimado!do calado,de falar com os olhos..secretos.

Do jeito estranho de fazer as coisas erradas e depois querer fazer o errado denovo,só que de um modo mais certo.Não sei se me intende meubêm,e também ora,não faço questão que intenda.de tudo tinha um vomitado, uma bebida quem sabe me deixou assim,E da morte da vida, da vida da morte,afinal não é tudo uma coisa só?
Chega mais perto com essa barba velha e branca,puxa um banquinho e senta,
- oh minha neguinha,Minha filha!
quem ou o quê tens procurando?
enquanto me olhava,pensei ,mil ou talvez mais que mil pensamentos,essa pergunta deixei no vacuo,depois eu respondo pai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário